De 'perdido' a herói de título de Libertadores: John Kennedy crava nome na história do Fluminense

De 'perdido' a herói de título de Libertadores: John Kennedy crava nome na história do Fluminense
John Kennedy fez o gol do título da Libertadores do Fluminense. Se alguém fala essas palavras no início da temporada, era capaz de mandar esta pessoa para o hospício. Mas com o destino não se brinca. Após casos de indiscplina, John Kennedy foi emprestado à Ferroviária, voltou com outra postura, foi importante em gols na competição e finalizou com o gol de campeão.
— É o gol mais importante da minha vida até o momento. Gol de título… Esperei isso muito tempo e hoje veio, graças a Deus — disse o atacante, que correu o risco de ir de herói a vilão ao ser expulso na comemoração do gol.
JK, como a torcida gosta de chamá-lo, começou 2023 emprestado à Ferroviária, de São Paulo. Por problemas de comportamento, o atacante perdeu espaço no elenco tricolor. A ida para a equipe paulista foi uma espécie de "última chance". E aproveitou.
Em março de 2023, Fernando Diniz integrou o jogador ao time profissional do Fluminense. Desde então, o atacante, apesar de reserva na maioria das vezes, é destaque na temporada do time carioca. Na edição da Libertadores, por exemplo, foram cinco gols marcados e três assistências do jogador. Além de ser decisivo na final, Kennedy marcou também no jogo de volta da semifinal, contra o Internacional, no Beira-Rio.
John Kennedy passou por diversas provações ao longo da temporada, mas recebeu sua recompensa e foi coroado no fim. Mas com sua fama de bad boy, o jovem foi expulso ao comemorar seu gol com o torcedor presente no setor sul e receber seu segundo cartão amarelo.
E, por fim, o caçador de urubu virou caçador de bostero, como o Boca Juniors é popularmente conhecido por seus rivais na Argentina. Com isso, John Kennedy entra definitivamente na história do clube.